segunda-feira, 19 de junho de 2017

Escola Estadual São José promove Circuito Ladeira de Fogo, 36 pilotos participaram

Imagem ilustrativa e de divulgação
A av. Edson Luiz Chelli – bairro das Nações foi palco da 2ª Edição da Corrida de Carrinhos de Rolimã, intitulada Circuito Ladeira de Fogo. As disputas aconteceram no ultimo domingo (18/06), o evento esportivo contou com a participação de 36 pilotos e esteve divida em duas categorias de carrinhos de rolimã: Força Pura e a Força Track Preparados.
A atividade de convivência é promovida pela Escola de Educação Básica São José através da disciplina de educação física e contou com o apoio de diversas instituições e empresas.
“Pelo número de piloto, nível das disputas, envolvimento da comunidade escolar e pelo nível organizacional, a 2ª Edição do Circuito Ladeira de Fogo foi um grande sucesso, agora temos que começar trabalhar para organizar a terceira edição no próximo ano”, comenta Lindomar Palmeira o Kico – um dos organizadores do evento.
Em breve a TV TCHÔ, disponibilizará os vídeos do evento CLIQUE AQUI e assista.

Saiba mais
Segundo a Wikipédia, o carrinho de rolimã ou carrinho de rolamentos é o nome dado a um carrinho, geralmente construído de madeira e rolamentos de aço, para a disputa de corridas ladeira abaixo. Ele geralmente é utilizado em descidas asfaltadas e lisas.
A construção de um carrinho geralmente é artesanal, feita com ferramentas simples, como martelo e serrote. O carrinho pode conter três ou quatro rolamentos (quase sempre usados, dispensados por mecânicas de automóveis) e é construído de um corpo de madeira com um eixo móvel na frente, utilizado para controlar o carrinho enquanto este desce pela rua.
Não se sabe ao certo a origem. Ao que tudo indica os primeiros exemplares foram construídos em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte no final da década de 1960 e começo da década de 1970, primeiras cidades a terem ruas asfaltadas e topografia íngreme. Os rolamentos, também conhecidos como rolimãs (corruptela do francês roulement), eram obtidos em oficinas que faziam manutenção dos carros da época e a madeira, de sobra de caixas ou tábuas utilizadas em obras.

Siga o blog nas redes sociais:
Twitter: @esportesedebate

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.